Fundação CESP Recomenda o Planejamento Financeiro

Além de ajudar nas compras de fim de ano, o décimo terceiro salário pode servir para melhorar a saúde das finanças em 2012. Há quem vá usar esses recursos para uma viagem, entrada na compra de um carro ou imóvel ou simplesmente guardar para o futuro. Mas é preciso planejar, senão, em vez de crescer, esse capital desaparece, principalmente no caso de quem tem dívidas, que podem virar uma bola de neve, como aquelas do cheque especial e do cartão de crédito. Wilson Muller, consultor para finanças pessoais do “Vida Investe”, programa de educação financeira e previdenciária da Fundação CESP, aconselha a quem tem dívidas desse tipo que “o melhor a fazer é quitá-las”.

Sua recomendação baseia-se nas taxas de juros. Enquanto investimentos em poupança ou fundos DI têm rendimento na casa dos 7% a 10% anuais, os juros do cheque especial, por exemplo, são, em média, de 9,55% ao mês, conforme recente estudo do Procon-SP. Os do cartão de crédito, 10,69% ao mês. Mesmo a opção de crédito mais barata para a pessoa física, o empréstimo pessoal, tem taxas mensais de 5,9% a 7,5%. “Uma pessoa que utiliza o limite do cheque especial em R$ 100 por dois meses pagará só de juros R$ 20. Não há aplicação em renda fixa que se equipare a esses percentuais”, afirma Muller.

“O ideal é quitar essas dívidas. Trocar os juros do cartão de crédito pelo de um empréstimo pessoal, por exemplo, reduz um pouco as perdas. Mas não deixa de ser a substituição de uma dívida cara por outra, mais barata, mas ainda muito salgada”.

Fonte: CESP

Arquivado em: Notícias Tags: 
© 2014 Rádio Previdência. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Válido.
Criado por Rádio Previdência.